Newsletter

Subscreve a nossa newsletter gratuíta.



Receive HTML?

Em caso de litígio o consumidor pode recorrer ao CNIACC - Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo, com sítio em www.arbitragemdeconsumo.org e sede na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, Campus de Campolide 1099-032 Lisboa.

O que é a dislexia?
A dislexia caracteriza-se por uma dificuldade na aprendizagem e automatização das competências de leitura e escrita, em crianças inteligentes sendo a sua origem neurobiológica. As crianças com dislexia revelam muitas dificuldades em adquirir e desenvolver o mecanismo da le dislexia_2 itura e da escrita. Apesar destas dificuldades, as crianças disléxicas apresentam uma eficiência intelectual normal ou superior, podendo evidenciar capacidades acima da média em determinadas áreas que não dependem da leitura e escrita (desenho, desporto, música, etc.).


1-OS PRIMEIROS SINAIS:
Começou a falar mais tarde ou apresentou problemas de linguagem durante o seu desenvolvimento.
Na leitura troca letras ou inventa palavras ao ler um texto.
A sua leitura é bastante lenta e inadequada para a idade.
Não gosta de ler e distrai-se com muita facilidade.
Os resultados escolares não são condizentes com a sua capacidade intelectual.

2-AS PRINCIPAIS DIFICULDADES:
O disléxico tem uma deficiência na descodificação dos símbolos escritos, o que o impossibilita de compreender o significado de um texto. Quando lê, a sua atenção está voltada para o código, em consequência, esquece o sentido do que acabou de ler. A velocidade normal de leitura de uma palavra é de 200 a 300 milissegundos. O disléxico leva em média 600 milissegundos. A maioria dos disléxicos tem também disgrafia, que é uma caligrafia irregular. Possui também dispraxia (pouca eficiência motora), consequentemente não consegue organizar-se no espaço da folha do caderno. As letras geralmente variam de tamanho e não respeitam as linhas.
O disléxico lê sem respeitar a pontuação e muda as palavras, pois, devido ao seu problema de sequenciação, não identifica correctamente o fim das mesmas. O disléxico revela um fraco domínio do sistema ortográfico, pois possui a dificuldade de identificar e discriminar a representação gráfica.
O disléxico não consegue transformar os seus pensamentos em código escrito. Para ele, elaborar um texto é extremamente laborioso, devido às dificuldades em construir sequências e parágrafos num sentido lógico-gramatical. Em consequência, o texto sai extremamente pobre, discrepante com o conteúdo da sua imaginação.
O disléxico não consegue decorar regras gramaticais, por causa dos seus problemas de memória. 463829.gif
Estes alunos revelam também muita dificuldade na expressão oral, porque a linguagem oral também depende da habilidade fonológica, pois é necessário que se vá até ao “dicionário interno”, se seleccione os fonemas apropriados, se coloque em sequência lógica e se expresse a palavra.